LOJÃO OBA OBA

LOJÃO OBA OBA

TRADUTOR

quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

MEDICA CUBANA É ENCONTRADA MORTA EM MANDAGUARI



A médica Alicia Monteiro Regueiro, 50 anos, foi encontrada morta na manhã de quarta-feira (30), por volta das 8h30, em sua residência, localizada no final da Rua Romário Martins, no Centro. Segundo informações, um motorista da Secretaria de Saúde foi busca-la, mas ela não atendeu aos chamados.
A vizinha que tem a cópia das chaves da casa da médica abriu a porta e a encontrou caída, atrás do sofá, entre a sala e a cozinha.  A equipe do Corpo de Bombeiros foi chamada, mas a mulher já estava sem vida.
Alicia morava a cerca de um ano em Mandaguari, onde trabalhava no Programa Estratégia Saúde da Família, e dava expediente na Unidade Básica de Saúde (UBS) da Vila Vitória em Mandaguari.
A médica é de Ciego de Ávila, cidade localizada na região central de Cuba, e veio para o Brasil através do programa do Governo Federal Mais Médicos. Alguns amigos de Alicia contaram  que ela estava se sentindo triste por passar as festas de fim de ano longe de seus dois filhos, mas estava planejando ir visitá-los em março de 2016. Ela também estava construindo uma casa em Mandaguari.
Os amigos relataram ainda que após a liberação do corpo, por parte do Instituto Médico Legal (IML) de Maringá, o corpo da médica será transladado para Cuba, onde em seu país de origem, será sepultada.

Fonte : portalagora.com 

Dezenove morrem na semana do Natal nas rodovias federais do Paraná

Total de mortes de janeiro a novembro caiu 25%, aponta PRF

Dezenove pessoas morreram nas rodovias federais do Paraná durante a semana de Natal. Outras 265 ficaram feridas. Os dados, da Polícia Rodoviária Federal (PRF), se referem ao período entre a última segunda-feira (21) e domingo (28).
Ao longo desses sete dias, a PRF registrou 281 acidentes no estado.
O total de 19 mortes é idêntico ao da semana de Natal do ano passado. Já o de feridos representa uma alta de 21% em relação a 2014, quando 219 pessoas se machucaram em acidentes nas rodovias federais paranaenses. Naquela ocasião, o total de acidente foi de 377.
Desde o último mês de junho, a PRF tem um sistema eletrônico que permite o registro de acidentes sem vítimas pela internet. Como esse registro pode ser feito diretamente pelos envolvidos, em um prazo de até 60 dias, não é recomendável comparar os dados de acidentes entre os dois anos.
Considerando-se apenas o período entre quinta-feira (24), véspera de Natal, e domingo, houve oito mortes no Paraná. Metade dessas mortes ocorreu em colisões frontais.

Balanço anual
De janeiro a novembro, o total de mortes registradas pela PRF no Paraná caiu 25% em relação aos mesmos 11 meses de 2014. Passou de 712 para 533 mortes –179 a menos. O total de feridos caiu 14%, de 10,3 mil para 8,9 mil.
Em média, ao longo dos últimos anos, morrem duas pessoas por dia nos cerca de quatro mil quilômetros de malha viária federal no Paraná. Ou quatro pessoas a cada dois dias. Ao final deste ano de 2015, é possível que essa média venha a cair de quatro para três mortes.
Uma das possíveis razões para essa queda significativa das mortes é a recente ampliação dos valores das multas por ultrapassagens irregulares, em vigor desde novembro de 2014. Essas manobras provocam colisões frontais, cujo índice de letalidade é alto.
Entre as principais causas de acidentes registradas pelos policiais rodoviários federais que atendem as ocorrências estão velocidade incompatível com o trecho, desatenção, não manter distância de segurança, embriaguez e desrespeito à sinalização.

Dicas da PRF
Para evitar acidentes, a PRF recomenda que os motoristas procurem respeitar sempre as placas de sinalização que estabelecem os limites de velocidade; dirijam com atenção e sem pressa; mantenham uma distância de segurança em relação aos demais veículos; evitem dirigir com sono ou após ter consumido bebidas alcoólicas; ultrapassem apenas em locais permitidos e quando houver condições seguras para a manobra.
Dirigir à noite requer um cuidado ainda maior, porque a visibilidade diminui. O mesmo acontece sob chuva ou neblina, situações que também reduzem a aderência do pneu em relação ao asfalto. Nessas situações adversas, as primeiras providências são reduzir a velocidade e acender os faróis de luz baixa. Não se deve parar no acostamento, à exceção dos casos de emergência, devidamente sinalizadas com o uso do triângulo.
Se a chuva ou a neblina for muito forte, o motorista deve procurar uma área de refúgio, como um posto de combustíveis, por exemplo, para estacionar em local seguro. O pisca-alerta só deve ser acionado com o veículo na iminência de uma parada brusca, jamais com o veículo em movimento.
Sob chuva, deve-se ter um cuidado especial com os riscos de aquaplanagem e de saída de pista em curvas. O motorista deve frear antes de iniciar a curva. Usar o freio durante a curva pode fazer com que ele saia de sua trajetória.
Em rodovias federais, o telefone de emergência da PRF é o 191. Se a rodovia tiver contrato de concessão, a PRF recomenda que o motorista tenha em mãos também o telefone da concessionária que atende o trecho. As equipes das concessionárias dão apoio em situações de pane mecânica, por exemplo.
A semana do Natal nas rodovias federais do Paraná

22-28.dez.2014:
377 acidentes;
219 feridos;
19 mortes.
21-27.dez.2015:
281 acidentes;
265 feridos;
19 mortes.
Janeiro a novembro de 2014:
15.658 acidentes;
10.333 feridos;
712 mortos.

Janeiro a novembro de 2015:
11.631 acidentes;
8.908 feridos;
533 mortos.

Fonte: PRF





Rede Walmart anuncia fechamento de uma das unidades do mercado BIG em Maringá

A rede Walmart que controla os supermercados BIG e Mercadorama anunciou nessa terça-feira o fechamento de uma das unidades do supermercado em Maringá. Na cidade são 3 unidades. Dois mercados BIG nos shoppings Cidade Catuai e um mercado Mercadorama na avenida São Paulo.

A assessoria de imprensa não quis divulgar qual seria a unidade, mas alguns funcionários do BIG do Catuai se manifestaram informando que a unidade daquele shopping fechará as porta as 17hs dessa quarta-feira encerrando as atividades. A assessoria de imprensa informou o fechamento de um dos mercados de Maringá faz parte do plano de fechamento de 30 unidades em todo país, o que representa 5% de todos os mercados da rede. O motivo seria a crise econômica.

Sobre a situação dos funcionários o grupo informou que fará o possível para reaproveitar alguns. Mas fatalmente haverá muitas demissões. No Paraná são 40 supermercados e 7 mil trabalhadores.


Veja o comunicado:
"Por conta do atual ambiente econômico no Brasil, a empresa tomou a decisão de fechar uma unidade em Maringá por baixo desempenho. Estamos fazendo todo o possível para transferir funcionários dessas unidades para outras lojas e quando não for possível, oferecemos apoio para recolocação profissional. Presente no Paraná com um total de 40 unidades, a empresa mantém compromisso com o mercado paranaense, a fim de servir melhor seus clientes e garantir a sustentabilidade do negócio no longo prazo. Em 2015, investimos R$ 1,3 bilhão na abertura de novas lojas, reforma de unidades antigas e integração de sistemas no Brasil.​" 
Fonte Oseias Miranda