LOJÃO OBA OBA

LOJÃO OBA OBA

TRADUTOR

quarta-feira, 9 de março de 2016

PROFESSORA DA ATIVIDADE PARA CRIANÇAS PINTAREM DESENHOS QUE TEM CONTEÚDO PORNOGRAFICO


Um desenho pornográfico foi distribuído para crianças de 8 a 10 anos como atividade de artes no 4º ano do ensino fundamental em uma escola de Agudos do Sul, na Região Metropolitana de Curitiba (PMC). O desenho para colorir foi distribuído em uma sala de aula nesta semana e os alunos levaram a atividade para casa. Pais e responsáveis viram o desenho inapropriado e acionaram a direção da escola.
A mãe de um aluno de outra turma viu o desenho e resolveu publicar nas redes sociais. A repercussão foi imediata. Segundo a Secretaria Municipal da Educação de Agudos dos Sul, a professora de Artes, contratada pelo Processo Seletivo Simplificado (PSS), foi afastada das atividades e será aberta uma sindicância para apurar o caso. Ninguém da secretaria quis comentar o caso, depois de uma orientação no Conselho Tutelar da cidade. A Secretaria informou que o caso foi encaminhado ao Ministério Público (MP) para investigação. O processo é sigiloso para preservar as crianças, a escola e os profissionais.
De acordo com a diretora da instituição, que preferiu não se identificar para preservar a escola e os alunos, a professora trabalhava o surrealismo com as crianças e foi um erro repassar as imagens. “Os desenhos foram impressos junto com outras coisas e foi entregue por engano. Ele não passou pelo setor pedagógico antes de chegar a sala de aula”, afirmou. A diretora enfatizou que as medidas necessárias estão sendo tomadas. “Provavelmente ela não retorne para a nossa escola e os pais foram convocados para uma reunião com a escola junto com a Secretaria de Educação”, disse.
Segundo a Secretaria, a professora disse que a atividade foi distribuída por engano. Os desenhos eram abstratos e o sentido real não teria sido identificado. A secretaria aponta que a professora foi desatenta na impressão e aplicação da atividade. “Eu lamentei o erro, mas disse que não há explicação, nem justificativa. Ela chorou bastante, disse que não tinha se atentado aos desenhos, eu acredito nela porque professora nenhuma faria isso em sã consciência, mas, infelizmente, é um erro grave”, 
A história lembra um caso que aconteceu em 2010, quando uma ilustração com conteúdo pornográfico, foi lançada em uma prova aplicada para 16 mil crianças entre seis e sete anos, da 1ª série do ensino fundamental da rede municipal de Curitiba. Na ocasião, a secretaria de Educação, informou que a intenção da imagem era ilustrar uma questão de geografia, com uma fazenda norte americana, com o fazendeiro alimentando aves. Só que no desenho apareciam imagens pornográficas subjetivas. A ilustração foi encontrada na internet sob o título de “fazendeiro solitário”. As provas foram recolhidas e a secretaria municipal da Educação da época pediu desculpas pelo erro. O responsável pela inserção da imagem não foi identificado.
Ft:BANDA B

ADOLESCENTE PASSA EM PRIMEIRO LUGAR NO VESTIBULAR DA UEM PARA MEDICINA


Há cerca de um ano Giulianna Chiqueto Duarte, de 16 anos, tinha dúvidas sobre a carreira profissional a seguir. Dividida, a adolescente chegou a prestar vestibular para Direito e Engenharia, mas acabou optando por Medicina. E nesta segunda-feira (7), após ver seu nome na lista de aprovados no vestibular da Universidade Estadual de Maringá (UEM), a garota teve certeza da escolha. "Estou muito feliz", declarou a dona da maior pontuação geral do Vestibular de Verão 2015, com 562,5 pontos dos 720 possíveis

"Durante o Ensino Médio pensei muito sobre o que queria fazer. É uma decisão difícil, porque a gente não tem contato com os cursos. Então pesquisei muito e conversei com parentes que fazem Medicina, e percebi que, ao contrário do que muita gente fala, passar no vestibular não era algo impossível", conta.

A aprovação da irmã Giovanna, que cursa o terceiro ano de Medicina na UEM, também serviu de incentivo para Giulianna encarar o desafio. Para tanto, ela conta que mudou de colégio e intensificou a rotina de estudos no último ano.
De segunda a sexta-feira, a rotina começava às 7h na sala de aula do colégio. Depois de uma pausa para o almoço, a garota retornava no início da tarde para mais uma jornada de cerca de quatro horas. Em casa, após um breve descanso, Giulianna ainda passava, em média, mais duas horas estudando, até por volta das 22h.
Aos sábados e domingos, o ritmo era um pouco menos intenso. "Nos fins de semana eu estudava menos do que durante a semana, mas nunca deixava de estudar. Tinha os momentos para descansar, mas estudava também", diz. Além do vestibular, Giulianna também foi aprovada no PAS para o mesmo curso. Ela também conquistou uma vaga em Medicina no Centro Universitário Cesumar (Unicesumar).
Rotina puxada de estudos foi coroada com a aprovação de Giulianna no vestibular

FT: ODIARIO.COM